Luciano Riquet

Christchurch, Nova Zelândia

Decidi fazer o curso porque vi nele a oportunidade de unir o útil ao agradável, ou seja, aprimorar o domínio da língua inglesa e fazer um pouco de turismo, a um preço razoável.

O que me motivou [a estudar Inglês na Nova Zelândia] foi o desejo de conhecer aquele país. É fantástico. As belezas naturais se espalham pelo país e constituem uma imensa atração turística. Os neo-zelandeses são um povo simples e agradável de lidar, quando se tem a oportunidade de interagir com eles. Christchurch é uma cidade pacata, limpa, ordeira onde você vai encontrar tudo o que necessita para ter uma excelente qualidade de vida.

Considerei os professores de primeira linha. Bem preparados para conduzir o aluno ao longo do processo de aprendizagem. São muito solícitos e prontos a ajudar os alunos. O material didático também é bom.

Os aspectos mais positivos da viagem foram o atendimento prestado pelos professores e funcionários administrativos (staff) do colégio; a estadia em casa de habitante local (homestay) porque é um fator de força no processo de aprendizagem; a facilidade que se tem para fazer turismo interno por conta própria; e as atividades complementares proporcionadas pelo Christchurch College of English Language (CCEL).

Sem dúvida [estudar o idioma no país onde ele é falado] é a melhor maneira de aprender, porque você tem que recorrer àquela língua para se comunicar. Evite contatos com pessoas que falam a sua língua. É extremamente positivo o contato com pessoas de outras nacionalidades porque se aprende um pouco de cada cultura e isso, nesse mundo globalizado de hoje é muito importante.

Fui à China antes e depois do curso, fiz turismo interno em South Island e também fui a Cingapura.

Considero que inglês é obrigatório e o domínio de uma terceira língua (além da sua própria) é o verdadeiro diferencial. Mas o inglês é básico! Acredito que ajudará bastante.

Coisas de meu próprio país e falar o máximo de Inglês possível! Até porque, quem não quer voltar para casa com um sotaque diferente?

» Veja outros depoimentos